2007-04-02

Adenda ao post anterior

Respondendo ás perguntas que nos têm feito sobre o que sucedeu ao grupo amador de astronomia e missilismo, devo acrescentar o seguinte:
Um dos últimos projectos do grupo foi a construção de um foguete com 1,20m de comprimento e a funcionar com combustível sólido. O projecto acabou por ser boicotado pelo Centro de Estudos Astronáuticos da Mocidade Portuguesa. A Embaixada dos EUA e a própria NASA tinham prometido apoios que acabaram por ser desviados para a Mocidade Portuguesa. Entretanto esta viria a convidar os elementos mais entusiastas do GAAM para trabalharem em conjunto no seu Centro de Estudos. Os elementos do grupo de astronomia conseguiram delicadamente recusar o convite uma vez que não estava nos seus projectos virem a trabalhar com indivíduos da Mocidade Portuguesa, mais conhecidos pelos “piolhos verdes”. Mais tarde, Victor Manuel Castelo e José Manuel Silva foram convidados pelos americanos para completarem os estudos nos EUA o que não foi possível aceitar por ser proibido pelo regime salazarista a ida para o estrangeiro de jovens em idade militar. E aos poucos tudo foi esmorecendo até à extinção do grupo.
Sobre Carlos Bettencourt Faria, consultando um dos links indicados no post abaixo, só posso acrescentar o seguinte:
Nasceu em Lisboa a 13 de Fevereiro de 1924. A sua juventude foi passada em S. Miguel-Açores, numa localidade chamada Ginetes, onde o seu avô era médico. Frequentou o liceu de Ponta Delgada demonstrando muito interesse pela óptica astronómica e tecnologia de rádio. Ainda adolescente foi viver para a Ilha da Madeira com um tio cónego, grande entusiasta de rádio, astronomia e biologia marítima, com quem desenvolveu os seus conhecimentos. Com 27 anos de idade viajou para Angola, onde 6 anos depois fundou o Observatório Astronómico da Mulemba num terreno situado nos arredores de Luanda com uma área de 10.000m2, estando igualmente em preparação a instalação de rádio telescópios, motivada pela fraca expansão da rádio astronomia no mundo. A Associação Astronómica de Angola, fundada em 8/8/64 foi considerada Instituição de Utilidade Pública, podendo assim usufruir de subsídios estatais e privados que foram decisivos para o desenvolvimento e construção de infra-estruturas para a Biblioteca Técnica, Museu da Mulemba, Estação de Satélites, Rádio Astronomia, Estação Solar e Laboratório de Electrónica para o desenvolvimento de equipamentos, fazendo deste complexo, um dos mais importantes do mundo, no género, dando especial relevo à cooperação internacional no rastreio da satélites artificiais e trabalhos astronómicos no âmbito solar.

12 comentários:

ez disse...

tenho saudades das nossas interações bloguísticas. Desculpa-me mas tenho andado (ainda mais) meio tonto!
Beijos propulsionados!

chauffeur.navarrus@gmail.com disse...

Tenho passado por cá mas falta a inspiração para os comentários. Estou a acompanhar a história que já conhecia mas sem estes pormenores.
Um beijo
Boas férias
CN

Tongzhi disse...

Deixa-me ser mais cuidadoso no comentário, senão depois levo na cabeça :) (Ana, estou a brincar).
Há 3 aspectos a destacar.
1º O interesse científico. Achei muito interessante esta, digamos, reportagem, tantos anos depois. Não conhecia Luís Filipe Bettencourt Faria, embora tenha a ideia de haver uma escola nos Açores com o nome dele.
2º Achei fantástico teres toda a documentação guardada e partilhares connosco. Era este o aspecto que me referia ao "dar sentido" às coisas que vivemos.
3º A forma como escreves...

PS. Tenho tido tanta coisa que ainda não respondi ao mail... mas vou fazer!
Votos de boa Páscoa!

Chobojo Master disse...

Ana, lo unico que puedo hacer es enviarte mis felicitaciones por lo que haces en tu Blog. Una gran muestra de sensibilidad y amor. Saludos afectuosos desde México.

Alonso Marroquin Ibarra

anete joaquim disse...

E assim se perdeu um grupo que poderia ter tornado Portugal mais conhecido no mundo... e fora dele!
O "orgulhosamente sós" tinha destas coisas!
Obrigada pela pesquisa do Bettencourt. De madeirense, pelos vistos, só tem o nome e um tio cónego.

poetaeusou disse...

***
como sempre...
sempre de nivel elevado ...
*
até
*

bettips disse...

Mas é sempre maravilhoso este descobrir. Vamos passando que não há tempo para tanta estrela linda. Deixo-te um abraço. E se olhares lá para fora, para as flores, pensa como eu as veria. Assim gostamos duma coisa ao mesmo tempo. Como tantas vezes temos passado por amigos comuns. Fica BEM!

dulce disse...

Passei para te desejar uma boa Páscoa.
Beijosssssss

Lu disse...

Feliz Páscoa.

Um abraço.

Baltazar disse...

Ola amiga

Então de férias?
Espero que tragas novas historias para contar.

TINTA PERMANENTE disse...

Interessante este saber já que, por mera coincidência, cheguei a passar no citado Observatório (não era assim tão longe da Base Aérea 9...)
Abraços!...

poetaeusou disse...

+
ana ramon
+
estou frustrado.
não consegui
detectar nenhuma
imprecisão no texto
+
xi
+