2008-09-13

Pondo a conversa em dia

Depois de termos passado um Verão quase sem virmos actualizar o blogue, hoje, a minutos de partirmos para umas curtas férias, passámos por aqui para darmos uma ideia muito pálida do que foram estes últimos meses.

Apanhar os tremoceiros:



Pô-los a secar

.. e depois malhá-los (não temos fotos).

Cortar e armazenar a flor das alfazemas:


Apanhar fruta e fazer réstias com as cebolas:
Nesta foto também se vê a batata coberta com folhas de eucalipto para a proteger da traça. Preferimos este procedimento que nos tem dado bons resultados, em vez de a polvilharmos com produtos químicos para o mesmo efeito

Acompanhar o nascimento dos pintos na chocadeira:


Distribuir uma série de armadilhas para moscas feitas com garrafões com água de demolhar e de cozer o bacalhau, servindo também qualquer outra água com cheiro forte a peixe ou carne:
Consegue-se ver a quantidade enorme de moscas capturadas e afogadas no líquido.

Construir finalmente um pequeno lago para satisfação dos gansos:


Fazer a cresta do mel:


Desopercular - que é cortar as tampinhas dos favos com uma faca para o mel poder sair na centrifugação:


Centrifugar:
Não fiquem preocupados porque não fizemos exploração infantil. Os garotos estão apenas a aprender como trabalhar o mel :))

Aqui vê-se o interior do centrifugador e o mel a juntar-se no fundo:


Filtrar:


Meter as ceras cortadas numa prensa para serem espremidas e aproveitar assim mais um pouco de mel.

Depois teve que se filtrar também este mel

Tivemos que inventar uma série de engenhos para afugentar os corvos que estavam a deixar as maçarocas do milho neste estado:


E começou-se por pendurar garrafas de plásticos e Cd's inutilizados para faiscarem com o sol:


Mas também ligar vários aparelhos de rádio em postos diferentes e ligados a temporizadores, para os assustar com as vozes dos locutores :)) Esta técnica pareceu-nos a mais eficaz:




E não falámos do malhar das flores de girassol, nem da desfolhada, nem dos almoços e jantares que fizemos aqui com os nossos amigos, nem do desgosto pela morte da nossa pavoa apanhada por uma raposa... e tantas coisas que ficaram aqui por dizer e por mostrar

Como sempre as imensas alegrias e alguns desgostos que esta quinta nos tem oferecido.

Mas agora vamos descansar uns dias. Bem merecemos
Até breve

31 comentários:

pinguim disse...

Excelente, excelente, excelente!!!
Boas férias, e merecidas.
Beijinhos.

Jardineira aprendiz disse...

Dias bem preenchidos!

Também já me falaram que a melhor técnica para afugentar pássaros é fazer barulho de forma irregular, caso contrário eles habituam-se.

Boas férias!

Ricardo disse...

Tardas, mas quando surges é pra nos presentear!

Tudo muito lindo, apesar da trabalheira que imagino vc tenha passado. Gostei de ver as chocadeiras (e nasceram pavõezinhos?) e o teu celeiro com cebolas, abóboras, prensas e mil coisas.

Descanse - merecidamente - e já vá gestando novas histórias para teus amigos e leitores fiéis! :)

Beijinhos!

Luciano Lema disse...

também já tinha ouvido falar do efeito repelente das folhas de eucalipto. sem dúvida um saudável alternativa aos químicos.

e quando chegares queremos essas histórias todas com detalhe!

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querida Ana, bom descanso!...Deixo-te muitos beijinhos,
Fernandinha

Pandora disse...

Boas férias!!!
Será que quando chegares me podes explicar qual a melhor altura para apanhar o milho doce?
É que eu sou novata na "agricultura" e este ano resolvi semear milho doce, mas o primeiro não nasceu e o segundo parece-me que já veio tarde. Têm várias massarocas mas não sei se se apanham quando ainda as folhas estão verdes ou quando está tudo seco. É a ignorancia de principiante, hehehe.
Beijos.

bettips disse...

O que eu aprendo aqui!!!
O trabalho, as mãos, a música que "espanta" pássaros, garrafões plásticos que apanham formigas...
Nem imaginas o bem que me fazes!
Contigo, sim, a esperança "de um mundo melhor", como o teu, renasce.
Boas férias, descansadas e diferentes.
Bjinhos

RUTE disse...

Quem me dera viver assim :-)) em plena harmonia com a natureza.

Esse é o meu sonho, e o meu objectivo. Um dia chego lá.

Obrigada por partilhar connosco esta paixão dos sentidos.

Beijinhos Ana.

Pandora disse...

Obrigada amiga pela dica.
já os fui verificar, mas eles ainda estão muito brancos. As barbas estão castanhas só nas pontas, e nalguns ainda estão a aparecer. acho que estão atrazados porque como disse esta foi a a segunda sementeira porque a primeira não nasceu.
Vamos ver se tenho sorte.
Mais uma vez obrigada pela atenção.
Beijos e boas férias.

alexandrecastro disse...

ola ana! é um facto há já muito tempo que por aqui não passava...mas a vida (académica versus profissional) não me tem dado muito descanso.
quanto gosto de ler a sua "vida". invejo-a sabe?!
bj
ps. um dia destes envio uma foto de uma "peça artesanal" que tem como função afuguentar javalis. quam sabe se não surte efeito também com os seus corvos.

as-nunes disse...

Pelas descrições aqui está uma forma´, emboraárdua, de aproveitar todas as potencialidades sócio-económicas duma quinta.
E Viseu é um bom sítio para se levar a sério o trabalho rural.
Há dias passei por Alva, ali entre S. Pedro do Sul e Castro Daire (lá estava o Mte de S. Macário, a Gralheira, Montemuro, o vale do Rio Paiva em diracção ao Sul), terra de origem da família por parte da minha mulher (a Zaida) e tive oportunidade de fotografar um casal a malhar, não sei se milho se feijão, não reparei bem. Usavam um mangual relativamente pequeno para aqueles que eu me lembro de que eram usados no Casal-Ribafeita, quando era puto.
Boas férias.

Duarte disse...

Efectivamente, um descanso bem merecido. Depois dum ano de trabalho árduo não à nada mais reconfortante que umas boas ferias.

Foi um deleite poder ver os paços que se dão com os tremoços. A demonstração passo a passo que dás é sumamente pedagógica. Sim, pois era o primeiro que comprava quando os meus pais me davam os cinco tostões do fim de semana. Desconhecia o processo e fiquei maravilhado e vejo-me obrigado a dizer, que baratos que são os tremoços com o trabalho que dão.

Faço extensivo o meu comentários a todos os demais processos que tão bem descreve, um grande estimulo para os sentidos.

Estou maravilhado!!!

Um enamorado da vida rural.

Um grande abraço pleno de carinho

Oris disse...

É sempre agradável recordar alguns momentos vividos no campo e ainda por cima aprender algumas técnicas tão eficientes... :)

Os corvos, tenho a certeza que se assustaram mesmo!!!

Continuação de "boa vida" no campo...
:))

Beijitos, Amiga.

poetaeusou . . . disse...

*
que vida maravilhosa,
bendita natureza . . .
,
maresias de boas ferias,
,
*

pin gente disse...

adorei saber da vossa faina... muito saudável (quem sabe um dia posso dar uma ajuda).

boas férias, descansem muito e bem
beijinho
luísa

pin gente disse...

para a batata também serve uma mistura de cal e cinza... não sei proporções mas posso informar-me se tiveres interesse.

eu disse...

É maravilhoso o que nos mostras. Que ventura poder viver assim!

Um abraço

Espaço do João disse...

Bem .
Espero que a semanita de férias servissem para um bom reposo. Realmente foi uma trabalheira mas... que há sem trabalho? Então a cresta deu alguma coisa de jeito? Quanto à dúvida da colocação dos quadros, ficamos esclarecidos ou ainda houve duvidas? Quanto á colocação das folhas de eucalipto eu também acho que é melhor que os productos químicos, em especial se forem ramagens novas. Quanto ao milho, tenho pena de não andar por aí pois quando ele tivesse feito mas ainda leitoso paparia algumas maçarocas assadas na brasa e barradas com manteiga. É de comer e chorar por mais.
Novamente com as abelhas, não é um prazer trabalhar com elas? Só não posso compreender a razão de ainda haver indivíduos a usarem cortiços. Eu só os uso quando tenho algum enxame para apanhar mas, já desisti do sistema, dá mais trabalho para passá-las para as colmeias. Bom regreso ao trabalho e até á próxima. Um beijo. João

JRL disse...

Por vezes, Ana, quando aqui venho, fico tão pensativa sobre a vida... Um beijinho.

A DONA DO MUNDO disse...

LINDO BLOG...
LIMPO E DIRETO...
PARABÉNS E BOAS FÉRIAS

Rita Lemos disse...

Que maravilha de descrições, uma verdadeira quinta e trabalho a condizer. Nota-se que acresce ao trabalho, e nas mesmas proporções, um imenso prazer.
Bem hajam

JRL disse...

O teu blogue é uma verdadeira paixão para os sentidos.

fernanda s.m. disse...

Ah ! mulher d'um raio ! Até fiquei cansada de te ler ... Boa. Não há quem tenha merecido mais justas férias !

Quando voltares, conversamos. Boas férias e bom regresso.
Beijos.

maria eugenia disse...

excelente....bjs

Rubi disse...

Umas optimas e merecidas ferias :) x

Sei que existes disse...

Bem que merecem descansar!!!
Beijocas grandes

Bruno disse...

Bem, isto é que foi trabalhar.

Parecem actividades muito agradáveis :)

Gilbamar disse...

Tocante e fascinante o texto e as fotos. Espero que leias este comentário quando voltares das férias, as quais desejo sejam maravilhosas.

Abraços.

Bichodeconta disse...

Estou sem palavras, chegar aqui é sempre de um ensinamento enorme.. Estou encantada e com uma saudade das coisas do campo.. Não me parece que ali haja escravatura ou exploração infantil..E aquio para nós, mil vezes fazerem um pequeno trabalho que não parte osso, do que andarem por ai , a ganhar maus hábitos.. Espero que os dias de férias tenham sido bons e tenham permitido recuperar forças para mais um ano..Não conheço a vossa quinta, mas acho que pela sensibilidade e pelas coisas boas que brotam dessas terras, assim como pelos bons ensinamentos, esse seria um lugar de eleição para o turismo rural.. Um abraço e bom final de semana..

Anónimo disse...

como sempre interessante


carla

http://www.arte-e-ponto.blogspot.com

Espaço do João disse...

Querida amiga.
Quando foi a cresta? Já tirou as dúvidas quanto á colocação dos quadros? O que mais aprecio na cresta é o abrir os favos, pois vamos metendo um pouco de cera desoperculada na boca e, chega-se há hora da refeição falta o apetite.Eu chego a comer mais de 20 Kgs. de mel por ano. Normalmente não uso açúcar para adoçar o café ou chá. Antes de deitar e, ao levantar vai sempre uma colher de sopa cheia de mel.Também para as minhas maleitas ósseas, uso a apictina directamente da abelha para o corpo. Como estou imunizado não me faz qualquer reação alérgica. Um abraço. João