2011-06-11

Um Santo António muito atarefado

Ando há umas semanas tristíssima com a perda de um brinco que herdei de um familiar querido.

Fiquei quase em estado de choque quando ao mirar-me ao espelho na rotineira higiene matinal, me apercebi que tinha uma orelha nua.

Pensei que o tivesse perdido enquanto dormia e por isso corri a desmanchar a cama e depois procurei  pelo chão, dentro dos sapatos, nas bainhas das calças, nos bolsos das camisas... em todos aqueles sítios onde poderia ter ficado retido. 

Não o encontrei em lado nenhum!

Como também o podia ter perdido nos passeios pela mata quando levo a Camila a fazer exercício por causa da sua displasia, passei a caminhar curvada, perscrutando atentamente se por entre as terras arenosas que brilham e rebrilham devido ao quartzo e à mica, vislumbrava a pequena pecinha de ourivesaria feita em ouro branco e com uma pedra de cor vermelha escuro.


Ao ouvir-me lastimar, junto do pessoal, pedindo a sua atenção no decorrer dos trabalhos, a dona Conceição chamou-me de parte para me confidenciar que se eu quisesse, poderia fazer um responso a Santo António e o brinco apareceria muito rapidamente

A minha falta de cultura é tão grande que não fazia a mínima ideia do que era um responso e, cheia de curiosidade, pedi-lhe para o fazer.

A senhora, semicerrando os olhos e colocando as mãos em oração, foi dizendo quase em surdina:

"Se milagre desejais, recorrei a Santo António, vereis fugir o demónio e as tentações infernais. Recupera-se o perdido, rompe-se a dura prisão, e no auge do furacão, cede o mar embravecido. Pela sua intercessão foge a peste, o erro, a morte, O fraco torna-se forte e torna-se o enfermo são.

Recupera-se o perdido brinco da minha patroa. Recupera-se o perdido brinco da minha patroa.

Todos os males humanos se moderam e se retiram. Digam-nos aqueles que o viram. Digam-nos os paduanos.

Recupera-se o perdido brinco da minha patroa. Recupera-se o perdido brinco da minha patroa.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Assim como era no princípio, agora e sempre. Ámen.

Recupera-se o perdido brinco da minha patroa. Recupera-se o perdido brinco da minha patroa,

Rogai por nós, bem-aventurado Santo António, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

Recupera-se o perdido brinco da minha patroa. Recupera-se o perdido brinco da minha patroa.

Deus eterno e omnipotente. Vós quisestes que o vosso povo encontrasse em Santo António de Lisboa um grande pregador do Evangelho e um intercessor poderoso. Concedei seguir fielmente os princípios da vida cristã, para que mereçamos tê-lo como protector em todas as adversidades. Por Cristo Nosso Senhor. Ámen" 

Depois de uns segundos de silêncio, emergiu daquele momento religioso e disse-me:

- Vai ver que num instante o brinco aparece!

Só que este responso foi feito há 2 semanas e por mais que se procure (sim, porque já percebi que não se pode esperar sentada e tem que se dar uma ajudinha), o brinco continua desaparecido.

Mas ainda ontem dei comigo a pensar que a altura não deve ter sido a melhor, uma vez que o Santo deve andar numa roda-viva com as festas que lhe estão a ser dedicadas durante o mês de Junho, um pouco por todo o país. 

Em Lisboa, no dia 12 vai benzer e ser o padrinho de casamento das 16 noivas de Santo António, tarefa que não deve ser nada fácil, devendo estar presente no Copo de Água, com boa comida, bebida, fadistas, bailarinos, etc. Depois, na noite de 12 para 13 vai estar presente no desfile das marchas populares de Lisboa, participando a seguir na noitada de sardinhas e vinho tinto, largando balões pelo ar e com ofertas de manjericos enfeitados com cravos de papel e quadras populares. 

Ainda por cima vai ter a preocupação de pela manhã do dia 13, estar fresco para participar nas eucaristias feitas na sua igreja de Lisboa, onde ainda se guardam alguns ossos seus, estar presente na grande procissão da tarde, não esquecendo as missas solenes ao meio-dia e depois às 9 da noite no encerramento das festividades.

Por tudo isto, vou ter que aguardar pacientemente que os festejos terminem para então apanhar o santo mais disponível para localizar o meu brinco, ainda que tenha caído aqui um temporal de chuva e granizo que arrastou terras e pedras acumulando-as em quase todos os caminhos que mais utilizo nas andanças dentro da quinta :(

13 comentários:

pinguim disse...

Este post faz-me lembrar aquele velho ditado (no que respeita às rezas): "fia-te na Virgem e não corras..."

Maria Paz disse...

Não acredito em nada de responsos nem no que lhe vou ensinar, caso queira tentar, no entanto compreendo bem o desgosto de perder uma peça que guardamos também como lembrança de alguém querido. Então, se quiser tentar, esta é muito fácil. Um lenço branco, dá-lhe um nó numa das pontas e a pensar no objecto perdido manda-o para trás das costas, para um canto da casa. É tudo. Ouvi colegas dizerem que acharam objectos perdidos desta forma. A meu ver o que acontece é que as coisas estão lá e nós não as vemos por qualquer razão. Estas coisas antigas às vezes surtem efeito, ainda sem explicação científica.

Paixão Lima disse...

Lamento a sua perda e reconheço que tem razões para ficar preocupada. Mais uma receita para juntar às restantes. Porque não atar um lenço à perna de uma mesa e rezar uma breve oração ao diabo por amor a Deus. Muitas vezes a aparente contradição resulta. Desejo que a jóia de família volte à sua posse.

Manuel Anastácio disse...

1.º O responso não funciona porque o Santo António não acode aos patrões. É um santo muito proletário e há muito proletário na fila à espera de coisas perdidas: emprego, salários em atraso, juizinho na cabeça, enfim...
2.º O responso funcionará melhor se o dirigires ao São Longuinhos. Dizes assim "São Longuinhos, São Longuinhos, devolve-me o brinco e dou três pulinhos.". Mas só funciona se o São Longuinhos foi, de facto, o ladrão. Porque só se devolve o que se roubou...

Agora a sério: quando não estiveres à procura dele, ele aparece... ou não.

Pronto, já sei. Não sou boa ajuda. Beijo grande, seja como for.

Espaço do João disse...

Olá Ana.
Quanto tempo sem notícias?
Espero que tenha recuperado sua jóia de estimação.
Eu também,em boa verdade tenho andado arredio, mas também por motivos de saúde. Vá lá apareça, pelo menos dá notícias de Viseu.
Um abraço e bom fim de semana.

Joaquim Nogueira disse...

Continuo a gostar do que escreve, lamentando apenas as suas longas ausências no seu blogue. Que encontre a sua jóia em breve . Um xi-coração

Ana Maria B disse...

Eu já sabia que se fazia uma reza/responso ao Santo António mas não conhecia as palavras. De qualquer maneira tenho mais fé no dito de que as coisas não têm pernas. Portanto o meu conselho é: procurar melhor. Eu,às vezes, à noite tiro um brinco e esqueço-me de tirar o outro. E quando não arrumo as coisas no sítio habitual, nunca mais as encontro. Normalmente aparecem quando faço arrumações e já não estou à procura.
Boa sorte e muita paciência. (eu fico desesperada, irritadíssima, quando perco alguma coisa)

Anónimo disse...

Olá Ana
É muito triste perder uma coisa da qual gostamos.
Se perdeu em casa, mais cedo ou mais tarde aparece (sou especialista)
Quando era miúda diziamos:
"apareça,apareça o bichinho sem cabeça"
Repetiamos isto enquanto procuravamos o perdido.
Acho que nunca resultou...
Oxalá encontre o seu brinco.
Um abraço - Rosa

maria disse...

Só um verdadeiro milagre...mas às vezes.

Joba disse...

OLha ana,o melhor é pedir para fazer um responso aos 3 santos populares. 6 mãos procuram melhor que duas....Cumprimentos
Joba

Filipe disse...

Em alternativa procurares quem te empreste um detector de metais, nos melhores até podes escolher o metal e percorrer os caminhos mais suspeitos

Anónimo disse...

foi uma delicia conhecer o teu blogue.

Sino disse...

Lembro-me perfeitamente de uma das minhas tias, já falecida, utilizar o responso a Santo António, e ter sucesso.O que me entusiasmou foi lembrar uma coisa já perdida na minha memória.
Li também o seu post sobre o desaparecimento da Patareca que felizmente apareceu. Também tenho patos e já tive 4 desgostos com patas, uma roubada com os ovos que tinha no ninho, outra levada por um animal durante a noite,outra apareceu morta,outa levantou voo e não apareceu mais.Vou estar atenta aos seus posts,também estou no campo e tudo o que diz me interssa