2011-12-01

Um Verão em fotos

O Verão já terminou e ficaram as boas e más lembranças de um período tão agitado como foi o deste ano.
Recebemos amigos e familiares que partilharam connosco muitos momentos bonitos.
Mostrámos a nossa represa preferida, que fica no Teixo ...


... e onde estivemos a nadar num dia de grande calor




Nasceu uma ninhada de patos bravos






Fizemos vários petiscos regionais e também cozemos pão no forno antigo

 
Fomos a Sever do Vouga visitar a Feira do Mirtilo

Nesta feira vendiam plantas envasadas, frutos embalados, licor, doce, gelado, bolo, tarte à base de mirtilo e onde prestavam imensa informação sobre a cultura e as diversas aplicações destas bagas.
Tivemos uma ninhada de patos mudos.  A segunda foto mostra uma lição de natação dada pela jovem mãe J


Terminámos o trabalho do milho que já está devidamente guardado



Nasceram 2 faisões


... e 6 pavões



Levámos os nossos amigos a Óbidos à Feira Medieval


Fizemos as nossas colheitas de tomate, cebola, pimento, beringela, physalis, malagueta, abóbora, pepino, feijão-verde, melancia, melão, maçã, pêra, morango, pêssego, cereja, ameixa, amora, framboesa…

Aproveitando a fartura para fazermos doces



Tivemos visitas inesperadas


Fizemos as nossas cirurgias caseiras como no caso de um borrego que fez uma ferida profunda na cabeça e que poucos dias depois, com o calor excessivo,  abrigava uma família de larvas gigantes de mosca-varejeira. 

Antes de injectarmos o animal com um produto que iria destruir esses parasitas que se alimentam e crescem dentro de tecidos vivos, fotografamos essas duas, junto ao ferimento, para poderem ver o tamanho de tais animais que iriam ocasionar a morte do borrego, comendo-o em vivo.


Nasceram também dois gansinhos

Fomos visitar o Festival de Jardins em Ponte de Lima que este ano tinha como tema “O Jardim e a Floresta”
Para o ano 2012, o tema será “Jardins para Comer” o que nos motiva a fazer de novo esta viagem

E agora perguntarão por que razão dissemos logo no início que tinham ficado as boas e más lembranças, quando tudo parece bom como demonstram as fotos.

É que o ano foi péssimo para as criações: os patinho bravos foram desaparecendo sem deixar rasto ou aparecendo mortos. Sobreviveram apenas 6 da ninhada de 18.  Os patinhos mudos foram os mais resistentes e só morreram 2 deles. Os faisões morreram dias depois da foto. Os gansos também. Aos pavões aconteceu o mesmo tendo apenas sobrevivido um dos novos. Os pintos peludos desapareceram, só restando uma franga. Mas estes temos a certeza que foram apanhados pela raposa ou pelo gato-bravo por termos encontrado um monte de peninhas brancas num sítio distante da capoeira.

Este tipo de vida faz-nos estar em constante contacto com a vida e a morte dos animais e não há meio de nos adaptarmos a esse facto da Natureza L

Só falta mostrar a foto do Tony Silva, trabalho feito pela criançada e que ainda se mantém a descansar ao sol e à chuva

Agora com o frio, andamos a apanhar azeitona, já comemos os dióspiros, já passou o tempo da castanha, que este ano veio cedo demais, e já temos as nozes ensacadas.

A produção de noz é cada vez menor devido à quantidade de esquilos que foi introduzida nas matas e que, segundo nos informaram, tem a ver com a tentativa de dar algum alimento aos animais selvagens. Não sabemos se a razão é essa mas o que é certo é que a introdução de novos animais, qualquer que seja a finalidade, se não tiver depois o devido acompanhamento, pode dar origem a pragas que não conseguimos controlar. No nosso caso vamos ficando sem as nozes L
E como não tivemos tempo para preparar um texto melhor, ficamos assim pela apresentação das fotos que resumem de alguma forma o que foi este Verão aqui na quinta.

14 comentários:

Paulo disse...

Isto é que é um relatório anual como deve ser.
O que aconteceu à visita inesperada? Não terá sido também responsável por alguns desaparecimentos?

Beijinhos.

pinguim disse...

Mas que vida rica a vossa. Acreditas que vos invejo?
Beijinhos e vê se apareces mais vezes por aqui...

Raízes M / Peniche disse...

Não é preciso ser poeta para falar de coisas lindas.Escrever sobre temas que envolvem a natureza e amor pelos animais, eleva o ser humano ao mais alto nível.Bem aja.

Raízes M / Peniche disse...

Não é preciso ser poeta para falar de coisas lindas.Escrever sobre temas que envolvem a natureza e amor pelos animais, eleva o ser humano ao mais alto nível.Bem aja.

Helena disse...

A visita inesperada é de meter respeito, onde eu moro tambem tenho dessas. mas são cobras d`água.
Tenho uma carneiro e uma ovelha, mas não sei quando haverá criação.
Parabens pelo blog.

kuka disse...

Um verão bem cheio.
A cobrinha é muito bonita. A única fauna que por aqui tenho são galinhas e já me dão que fazer.
Este ano não vieste ao Algarve?

Anónimo disse...

Viva a "paixão pela Natureza" que engloba os sentidos todos!
Gostei de ler a resenha da quinta e deste verão atarefado. Receitas caseiras e visitas, bichos e gente.
Pois...tenho pena de não poder meter-me ao caminho para VER esses montes.
Um abraço para ti Ana e todos os teus.
Da bettips
9.12.2011

poetaeusou . . . disse...

*
embora standard,
,
visito-te com amizade,
carinho e respeito !
,
Gostei do teu postado !
,
retorno
e o meu regresso
tem as asas da boa vaga
esquecendo a onda amarga
tão triste no seu quebrar,
porém, é belo o seu trovar,
ecos fortes e salgados,
na Paz , “standarizada” !
dos meus votos sagrados,
que aqui deixo, bem expresso !
,
conchinhas, muitas, para ti !
*

horticasa disse...

Isso sim é que é uma quinta de verdade, com direito a tudo, vida e morte, esta é sempre triste, mas toca a olhar para a frente...
Este ano vai ser melhor de certeza, porque se não for a esperança de melhores dias, o que nos resta??
Feliz Ano de 2012, eugénia

Um brasileiro disse...

Ola. Tudo blz? Passando por aqui para dar uma olhada. Gostei. Muito legal. Apareça por la. Abraços.

Ana Maria B disse...

O texto e as fotografias estão excelentes.
É uma pena os bichinhos pequenos resistirem tão pouco. A minha prima usa galinhas pequenas para fazer criação de tudo. E guarda tudo numa caixinha enquanto a bicharada não cresce. Ao pé do cão. Parece que as garnizés são melhores mães. Funcionam como chocadeiras. Todas esticadinhas para cobrirem a ninhada...
A cobra é assustadora. Eu tenho alguma aversão/medo. Mas acho-as bonitas. E comem ratos. E provávelmente, também, pintaínhos, se os apanharem. Talvez também comam esquilos...

Jorge N. disse...

Que partilha bonita. Boa Primavera!

Jorge N. disse...

Que partilha bonita. Boa Primavera!

Rosa Maria disse...

Olá Ana
Como gosto de ler tudo o que conta sobre as atividades na sua quinta.
Teve um Verão muito movimentado e cheio de peripécias.
Um abraço
Rosa Maria