2006-08-01

Esperando as Luffas

Hoje de tarde dei uma volta pela horta que faz a curiosidade e a inveja dos vizinhos que não conhecem algumas das plantas que cultivo: as espargueiras, as beringelas, as couves de Bruxelas, as couves rábanos, as courgettes, as endívias... (agora também ando um bocado invejosa por me terem falado na phisalis que nunca cultivei e nem conheço o sabor)
O meu interesse maior foi dedicado às plantinhas da abóbora Luffa que estão a crescer alegremente, agarrando-se às hastes secas que espetei na terra para esse efeito. As flores são bonitas, amarelas e já está pendurada uma aboborinha pequena tentando fazer pela vida. São memórias de infância em que a minha mãe esfregava as panelas e o nosso corpo arrancando o lixo e a pele com umas esponjas em forma de pepinos que ela cultivava no nosso pequeno quintal.
Um dia ao mexer nos pacotes de uma casa de sementes em Lisboa, encontrei as tais pevides que semeei com muito carinho e expectativa. E parece que se vão dando bem, trepando com um aspecto saudável. Quando tiver a máquina de fotografar arranjada, deixo aqui uma foto para apresentá-las a quem não as conhece.

3 comentários:

Chauffeur Navarrus disse...

Mas que honra... Sou eu o primeiro a deixar um "comment".
Fico satisfeito por finalmente ter este blog disponível.
Um beijo grande e continua...
João

Anónimo disse...

Olá amiga, adorei o blog e tinha que ser o convencido do meu compadre chauffeur navarrus o primeiro... a fazer um "comment".
Já sabes que vou ser uma leitora diária.
Beijo.

Ana Ramon disse...

Obrigada pela adesão e simpatia. Cá espero os teus trabalhos. Bem que podias ter aqui repetido aquela história da tua mãe também te arrancar a pele com as esponjas das luffas :)))))))))